quarta-feira, 21 de junho de 2017

NEMETONA A DEUSA ÁRVORE DOS BOSQUES E LOCAIS SAGRADOS



Olá. Esta imagem foi a primeira que escolhi para simbolizar a entrada do portal do bosque sagrado do Clã da Floresta do Sul. Este Clã do sul da França em meio a Galia reencarnou todo entre Porto Alegre e Santa Maria RS, no Brasil e não sei porque coube a mim o redespertar deste grupo. Mas depois de muitos anos somente hoje tomei contato com o nome dado a Deusa árvore. Diana Nemetona, ou somente Nemetona (e provável que no período pré romano nem este fosse seu nome. Mas aqui transcrevo o material do site: https://journeyingtothegoddess.wordpress.com/2012/07/11/goddess-nemetona/ que foi o mais completo que encontrei. Sabem a dias nós do clã vinhamos procurando o "carma" das florestas e encontramos na forma de muitas histórias sobre sacrifícios oficiados por druídas do período de decadência. No Período inicial em tempos de Briggit, muito antes de Ceridween e outros os ritos eram femininos e o aprendizado era familiar e não de uma ordem. Diferia de família para família, de clã para clã e tudo era passado como parte da cultura e conhecer os reinos era a arte local. 
Mas neste momento a floresta nos pede ajuda. E é na energia da misericórdia que devemos vibrar para os desmatamentos acabarem. Aprendemos a demolir florestas para evitar ladrões, ritos bizarros e coisas assim, mas não soubemos quando parar e agora precisamos do verde de volta e este verde nos pede ajuda. Ele não pede mais crenças, ele pede apenas que científicamente compreendamos que ele é vivo. Sente, raciocina como botânicos do mundo todo já compreenderam mas empresários e fazendeiros não. Somos parte das florestas e elas de nós e precisamos respeitar sua pureza, sua natureza e com isso preservar a nós mesmos como entes vivos.
"Os temas de Nemetona são desejos, proteção, alegria, fadas, magia, sorte e natureza. Seus símbolos são árvores de espinheiro (ou árvores em geral). Nas regiões romano-celtas, Nemetona protege arbustos de árvores com uma presença protetora especial que marca a área como um local sagrado. Dentro deste espaço, a alma é silenciosa e calma, tornando-se uma com a natureza e a Deusa. O nome de Nemetona significa "santuário" dando uma nova profundidade de significado à frase poética de William Cullen Bryant: "os bosques eram os primeiros templos de Deus".
Bawming the Thorn " é um ritual que ocorre em torno desta época do ano em Appleton, Inglaterra . É uma ocasião para a comunidade se reunir e decorar uma árvore de espinheiro no centro da cidade. As pessoas locais acreditam que este foi um lugar de adoração pagã antiga, o que é altamente provável, uma vez que os espinheiros são sagrados tanto para as bruxas quanto para as fadas. Nas tradições mágicas, transportar um espinheiro garante felicidade e promove boa sorte (sem falar em levar um pouco de Nemetona com você). Onde quer que o carvalho, a cinza eo espinho cresçam juntos é um ponto muito mágico cheio do poder de Nemetona e um que será visitado regularmente por fadas! "
(Patricia Telesco, "365 Deusa: um guia diário da magia e inspiração da deusa").
"Rainha da Floresta" por maillevin
Patricia Monaghan nos diz que Nemetona era "a Deusa britânica do bosque sagrado" como uma das divindades adoradas em Bath , onde Sul foi honrado como patrono das termas. Nemetona foi retratada como uma rainha sentada que segurava um cetro, cercado por três figuras encapuzadas e uma ram "(pág. 228).
Encontrei o que Sora Nalani escreveu para ser muito informativo e inspirador:   "Uma divindade continental reverenciou durante a época romana; Seu nome pode ser conhecido com a Valquíria Nemain irlandesa e, de fato, os romanos parecem ter considerado que ela tinha alguma conexão com Marte ". [ 1 ]
"Nemetona é uma Deusa muito antiga dos celtas, especificamente aqueles na Gália (o que é agora a França). Além disso, pensou-se que ela era a deusa homônima dos Nemetes , um grupo de pessoas germano-celtas que viviam no Reno, em uma área agora chamada Trier na Alemanha. Os celtas, em geral, não construíram templos, mas praticaram sua espiritualidade em bosques sagrados e Nemetona personifica essa crença na terra sagrada. Seu nome literalmente significa "espaço sagrado", da raiz celta nemeto, que significa "área sagrada". Ela está relacionada com o conceito druídico de nemeton , a designação do espaço espiritual sagrado.
Nemetona foi adorada principalmente no que é agora a França e a Alemanha, mas seu culto se estendeu para a Inglaterra, onde há um altar dedicado a Ela em Bath. O nome dela sobrevive através de muitos nomes de lugares, incluindo Augustonemeton (França), Nemetacum / Nemetocerna Atrebatum (Norte de França), Nemetobriga, Nemetodurum (Vernantes modernos), Nemetatae (Uma tribo no norte da Espanha), Nemetostatio (Inglaterra), Vernenetum e Medionemeton (ambos em Inglaterra).
Loucetios Celtic Deus da luz
As inscrições encontradas mostraram que os romanos afligiam Nemetona com Marte. Em Trier e Altrip , na Alemanha, foram encontradas inscrições associando-a com Marte especificamente e em Bath com Loucetios Mars . É bem sabido que, quando os romanos se espalharam pelo mundo celta, eles compararam suas divindades com as divindades locais, encontrando pontos comuns. Loucetios era um deus da tempestade, o amigo divino de Nemetona, cujo nome significa "brilhante" ou "brilhante". Pensa-se que ele pode ser a forma original de Lleu / Lugh , o deus galês da luz. Com Lugh imaginando como um "guerreiro divino" em muitos mitos, faz uma certa sensação de que os romanos equiparariam Loucetios com seu deus da guerra, Marte. Ainda assim, o ajuste é incomodo e faz pouco para reter o poder e o significado originais de Nemetona e de seu consorte. Como é frequentemente o caso das sobreposições das divindades romanas, parece que houve uma ruptura da comunicação, já que os romanos tentaram encaixar seus deuses com fome de guerra sobre os deuses mais xamânicos dos celtas ".
Sora Nalani continua dizendo: "No começo, achei o ajuste de Nemetona e o de Marte para ser quase ridículo, simplesmente não pareceu como se pudesse ser. Mas, quando encontrei um par de dentesdela com o Deus Brythonic, o Rei do bosque sagrado de Marte Rigonemetis , uma nova imagem começou a se formar na minha mente, um rei de um ano associado à Deusa sagrada, cujos tendões de energia eram inseparáveis ​​de a terra. É muito possível que Rigonemetis seja o guardião do bosque sagrado, o guardião da mãe sagrada e a fonte da vida; Nemetona. Eu então lei que o Celtic 'Mars' era um deus de proteção e cura, juntamente com a agricultura, além dos aspectos semelhantes a guerra. Mesmo Loucetios, um deus iluminante, está associado a bosques sagrados, como os druidas associaram iluminação com árvores sagradas, em carvalhos particulares. É muito possível que Loucetios tenha sido associado com ' drunemeton ': o bosque de carvalho sagrado.
Parece um toque cruel do destino que alguns pensam que ela sobrevive como Nemhain , o deusirlandês da batalha frenesi. Enquanto o caminho da Deusa dos bosques para a Deusa do campo de batalha não é tão desenvolvido através da associação dela com o consorte divino que inevitavelmente estava ligado a Marte, o deus da guerra, o emparelhamento de Nemetona e Nemhain parece pouco mais do que uma construção de Semelhança em nomes e não uma evolução real da adoração da Deusa.
Não consegui encontrar muitas imagens de Nemetona, mas na iconografia sobrevivente. Ela está retratada sentada, segurando um cetro rodeado por 3 figuras encapuzadas e um carneiro. Esse retrato parece mais romano do que o Celtic, parece-me mais provável que sua presença tenha sido encontrada no knotwork em espiral e na iconologia do labirinto dos celtas.
"Nemetona" de Selina Fenech
Nemetona é uma Deusa difícil de envolver minha mente. Ela é um pouco nebulosa em minha mente, em parte porque ela parece inextricavelmente ligada à terra. Ela é o bosque sagrado e é ela. Ela é espaço sagrado, quer se encontre nas majestosas árvores de um bosque ou se é mantido simplesmente dentro do coração. Ela é a respiração sagrada, os santuários que criamos, não de pedra e argamassa, mas por amor e reverência. Ela é uma ligação sagrada entre nós e o planeta vivo. Mas, na minha opinião, não de maneira totalmente consumidora, como uma divindade como Gaia, mas de uma maneira muito pessoal e íntima, nosso vínculo com a terra nos nossos pés andam, para as árvores nossas orelhas ouvem cantar ao vento e As folhas da época com a gente. Ela é a animação do espaço vivo ao nosso redor, um lembrete para criar o que é sagrado dentro e levá-lo através de todas as nossas provações e viagens. Ela é o círculo para si mesma e estamos dentro do círculo dela, encontrado dentro do nosso relacionamento com nossos ambientes mais íntimos e imediatos. Ela é a totalidade dentro de cada folha na planta que fica ao seu lado, ou as células em movimento de seu corpo, e a encarnação de todos os ciclos espirituais pessoais. Simplificando, ela é espaço sagrado. "[ 2]
Outros nomes: Nemetonia, Nemetialis
Fontes:
Arco sagrado de Joelle , " deuses celtas e deusas ".
Monaghan, Patricia. O Novo Livro de Deusas e Heroinas , "Nemetona".
Nalani, Sora. Spira , " Nemetona: Deusa do Bosque Sagrado ".

Links sugeridos:
Druidnetwork.org , " Nemetona ".
Eagle Feather, Lavender. A Bruxa Simplificada , " Orientação da Deusa ... Nemetona "
Nemeton - o Sacred Grove: lar dos deuses celtas , " Nemetona: uma deusa gaulesa e brettônica (o bosque sagrado) ".
Wikipedia , " Nemetona ".

Bran o Terrível ou somente Bran o Bárbaro foi um dos maiores conquistadores Gualeses e chegou até a judéia onde fundou o que chamamos de Galiléia e sim era parente do nosso Jesus por parte de Maria de Nazaré e Josér de Arimatéia. Ancestral mais antigo, foi cultuado por muitos como Marte o Deus Romano da Guerra devido a suas muitas conquistas e também sua ferocidade. Bran em alguns lugares também foi confundido com Zeus, devido a seus cabelos e barbas fartos e ao poderio que demonstrava. Se apaixonou pela Grã Sacerdotisa da "Ilha das Mulheres" que não sabemos ser Avalon ou de onde as sacerdotisas saíram e depois migraram para Avalon. Esta ilha ocidental era plena de maçãs e não havia sofrimento. Sendo uma ilha de sacerdotisas com uma ordem organizada e estabelecida, seria normal que assim o fosse. Mas Bran se apaixona por Nemetona (nome romano - não celta) e fica com ela um ano, mas em seu retorno continua suas conquistas com ela a seu lado e em alguns lugares ela fica conhecida como Deusa da Guerra e os romanos novamente lhe atribuem nomes de seus Deuses a tratando como Diana Nemetona ou Nemis - deusa da Guerra e do pavor.
Me parece que ambos existiram e não tinham nada de divinos sendo reis da época, mas diga-se que nesta época tanto na China quanto no Egito reis eram considerados deuses e isso na frança ainda existiu em tempos modernos apenas sendo mudado de o rei ser um Deus, para ser tocado por Deus (como Luiz XIV - O Rei Sol - que não diferia no que pensavam dele  com o antigo faraó Akenathon, mas neste caso já católicos então dizia-se que o direito de ser rei era divino e que o rei era tocado por Deus, ao invés de ser um deus. Mas em épocas de Bran definitivamente um grande lider seria lembrado em canções como um deus! Assim o foi com Shiva, com Ganesh e outros. 



sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Elementais da Terra 1

#‎MAGIANATURAL‬: AMADOS ELEMENTAIS DA TERRA - 
Ontem fui ao portal do mundo mágico ou natural e fui ver meus amados do reino da terra, e estavam na casa de um amigo. Quando fiz um trabalho de cura la acabaram ficando em seu portal, quando fui buscá-los estavam meio amedrontados e os que são atuantes no portal do meu amigo eram mais idosos e estavam muito incomodados com os meus que estavam mais para adolescentes, assim como uns 500 anos (os mais novos). Achei fofo e admito que demorei para ter consciência plena deles. 
Amam maças carameladas e os mais idosos pudim e mingau de aveia. São grandes curadores e obreiros astrais. Para se comunicar com eles tem que ter muita paciência, música alegre e leve, bolos doces e deixar antes da vidência sua intuição falar, até que firme a visão.
JOVEM DUENDE






















ANCIÃO DUENDE

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

CURSO DE MAGIA NATURAL

CURSO DE MAGIA NATURAL

-VALOR: R$100,00 por encontro
-6 módulos iniciais.
- 14:30 às 17:30 sempre no último sábado do mês iniciando agora em 27/08
- Local rua Cel Fernando Machado 212. Centro de Poa (teremos aulas ao ar livre também).
- Ministrado por Gabriela Yasoha
- Como iniciações em cada etapa.
- Para se inscrever mande mensagem ou ligue via whats ou sms para 51-82578259.

                                   Este curso inicial visa fornecer os conhecimentos básicos da magia na natureza sem nenhuma vinculação religiosa. Conhecimentos estes que estão nas mais diversas culturas do mundo. A Magia Natural tem sua origem como a humanidade e era passada dentro dos clãs/familias e não sendo exclusiva de um único povo.
                                   Um mago natural antes de tudo é um curandeiro, e um ser consciente da floresta, tendo um contato direto com seus espíritos, ervas, plantas e portais.
                                   Este curso não pretende durar apenas 6 meses pois são muitos conhecimentos a seres tratados mas este mini curso será obrigatório para aqueles que desejam entrar e aprender sobre este universo. Os materiais escritos serão enviados por e-mail antes das aulas e se houverem meditações direcionadas elas também serão colocadas no grupo online dos alunos.
                                  Aqui conheceremos uma forma diferente de auxiliares de magia. Nosso Selo é a árvore de vida e a ela servimos e pela natureza de nosso planeta trabalhamos.
                                 Quem busca poder, não venha. Aqui o ego não terá morada. Mas se o que busca é conhecimento e reconexão com a magia natural de nosso ser e planeta então a floresta lhe abrirá os braços e sorrirá lhe trazendo suas bençãos.

                                    PROGRAMAÇÃO:

  1. Primeira Iniciação, conectando o local onde vc mora a natureza, segredos do primeiro portal, instrumentos básicos de magia, o guia da floresta.
  2. Segunda Iniciação, iniciação da Terra, ao alfabeto das árvores, principais árvores do rio grande do sul e seus poderes, confeccionando sua varinha, recebendo seu nome.
  3. Terceira Iniciação, os portais do fogo, o uso das velas, piras e fogueiras, o guardião do fogo e entidades auxiliares.
  4. Quarta Iniciação, os guardiões das florestas, senhores dos cristais, pedras da região, círculos naturais, fazendo desenhos o reino mineral.
  5. Quinta Iniciação, o reino das águas, fontes e cachoeiras, o copo com água, o cálice, o guardião deste reino e seus auxiliares.
  6. Sexta Iniciação, o reino dos ventos, o uso do leque, dos sinos e atames, pendurando folhas e conjuros, o guardião deste reino e seus auxiliares.

sábado, 30 de julho de 2016

Madre Monte ou Mãe Natureza ou Mãe da Montanha

"Sou feita da própria vida, mas nem sempre estive aqui. Sou mais velha que muitas eras, mas existem muitas como eu. Migramos de planeta em planeta reunindo os elementos na sinfônica harmonia geradora da vida natural. Aqui tenho muitos nomes: Kwan YIn (Kwan Terra/Yin feminino), Grande Mãe, Mãe Natureza, Mari. Não posso ser confundida com Gaya, pois este é o nome que foi dado ao espírito deste planeta, ao seu sol. Sobre ele atuo juntamente com muitos outros seres (que podem ser chamados de deuses, elohins, kamis, orixás). Aos humanos trago sabedoria em relação ao meu meio e curas pois tudo dentro deles e o que os forma é feito de vida. Cade células é plena de vida, cada bacilo, cada bactéria cada vitamina é plena de vida.
Meu postal é qualquer ser vivo e você é um portal para mim. Se gosta de rituais poderá fazer uma estrela de 5 ou 6 pontas com folhas, quertzos verde e um copo com água ao centro.

Não se preocupe com o que os homens estão fazendo, apele para minha consciência maior e para o criador dos universos (mente una de todos os seres reunidos) e peça para que aprendam a reconstruir, quanto a mim, sempre renascerei enquanto este planeta estiver cumprindo sua função na evolução dos seres. Meu amor é infinito e mesmo quando tudo recubro de verde estou apenas renovando, trazendo nova vida a cada coisa existente. De mim saem todos os seres das criações naturais por isso me chamam de mãe. Estamos todos aqui agora e devemos fazer nosso melhor pelo bem comum de tudo! Harmonia para todos!"

Mãe do Monte
pelo canal Gabriela Yasoha

quinta-feira, 28 de julho de 2016

ÁGUA FLUIDIFICADA DE DUENDES E FADAS PARA REGAR AS PLANTAS

Quando for regar suas plantas chame a Fada e o Duende Verde ou a Deusa Flora. Imponha as mãos sobre o balde ou regador e fluidifique. Suas plantas merecem este carinho. Isso serve para os animais também, mas ai chame a Fauna, Duende Marron e Fada dos animais.



terça-feira, 26 de julho de 2016

SACERDOTISA DAS FOLHAS - Maga Natural

A Sacerdotisa da Folha sempre existiu nos reinos mágicos. Dimensões de criação, mas esta história é sobre uma que encarnou.

"Nasci em meio a Irlanda, mas uma Irlanda já evangelizada e bastante preconceituosa com magias e benzedeiras. As tradições celtas haviam sido deixadas de lado e ainda não haviam voltado através do atual movimento de Nova Era ou Wicca. 
Quando muito pequena a coisa que eu mais gostava era sentir o aroma das folhas diferentes e quase morri de intoxicação muitas vezes devido ao fato de cheirar tudo. Quando cheguei aos doze anos sabia distinguir cada erva pelo aroma e textura ainda no pé. Mas um dia estava cainhando pelo bosque perto da minha casa, no interior, e ia quase pisando numa gramínea e ela me fez sentir todo corpo parar. Não me movia e senti que se baixasse o pé, tiraria uma vida. 
Desde ali para me alimentar somente pegava plantas que sentia que poderia colher. Como era eu a cozinhar ninguém notou. Mas fui obrigada a casar. Meu marido era bronco e bastante crente. Um bom homem voltado ao trabalho com animais. Ele com os bichos e eu com as plantas. Mas nosso amor pelo que fazíamos era enorme. Um dia sua mãe adoeceu e pude curá-la com alguns chás o que foi visto como milagre e levou o pastor local a um total desagrado. Dai para ser taxada de bruxa foi muito rápido. Não me queimaram numa fogueira porque já não se fazia mais isso, mas fui largada com fome no meio do nada e banida como louca. Até hoje vejo no mundo da terra as pessoas serem taxadas de loucas quando são diferentes. Não vivi muito pois logo veio o inverno e onde morava era muito frio e pereci logo. Quando sai do corpo senti uma total libertação e um retorno ao meu mundo. Observei que meu espírito não era como os demais que percebia perto dos cemitérios de humanos. Eu era definitivamente verde. Fui guiada por uma luz até um portal e la retornei ao meu mundo dos seres naturais onde encontrei vários ancestrais que tinham o mesmo dom, mesmo que em vida eu não soubesse. Perguntei porque precisei ir até o mundo dos humanos e a resposta foi para aprender e nessa interação auxiliar em ambos os reinos. Hoje auxilio médicos, fitoterapeutas, pesquisadores, benzedeiras e sim magos no conhecimento mágico  e científico das ervas e da natureza."

Para me chamar basta em mim pensar. Mas se rituais precisa faça um pentagrama de folhas naturais, qualquer folha, uma vela verde e um copo com água mineral sem cloro e me chame. Posso estar presente em todas as curas e rituais com folhas. Atuo juntamente a Deusa Flora, ao Green Man e o Ossae. 

Brilhos da luz dos alecrins!

Kenaya."




Duendes da Sorte - Leprechaun

By Wiky: "Figura mitológica do folclore da Irlanda, o leprechaun (pronuncia-se /LÉP-re-coun/) é apresentado como um diminuto homenzinho, sempre ocupado a trabalhar num único pé de sapato no meio das folhas de um arbusto ou "sob uma folha de labaça".[1] Ele é tido como o sapateiro do povo das fadas. Também são conhecidos pelos nomes de Tumores, Duendes ou Gnomos.
Os leprechauns são considerados guardiões ou conhecedores da localização de vários tesouros escondidos. Para obter tais tesouros (normalmente um pote de ouro) é preciso capturar um leprechaun e não o perder nunca de vista. Caso contrário, ele desaparece no ar. Como diz Brian Froud"Como acontece com todos esses seres (encantados), é importante que você veja o leprechaun, ou duende irlandês, antes que ele o veja, pois ele se torna então mais cooperativo e talvez possa até levá-lo a um de seus potes de ouro escondido. Mas ele é muito astuto e traquina, capaz de desaparecer num piscar de olhos".[2] Acredita-se que eles também tenham uma moeda de prata mágica, que volta a sua bolsa, depois de ser gasta.
Os leprechauns são descritos como sempre alegres e vestidos à maneira antiga, com roupas verdes, um barrete vermelho ou um estranhochapéu de três pontas,[3] avental de couro e sapatos com fivelas." (https://pt.wikipedia.org/wiki/Leprechaun)

             Sorte, duendes irlandeses tem por especialidade a sorte. Mas não estão somente neste pais, pois regulam na natureza a balança dos ventos. Não o elemento ar, mas as marés cármicas de boa sorte que nos alegram e de má sorte que nos ensinam.
Não são fáceis de se contactar, mas se num dia de arco-íris você tiver bolos doces, ofereça a eles. Num local bem florido ou em casa. Nunca faça sem o coração puro de pedir auxilio e sabedoria, pois a ganancia tem seus problemas e o carma advindo dela é ensinado lentamente. O que podemos aprender com eles? A sentir as marés, a vibrar de forma correta na abundância, a auxiliar todos os seres.